CONHEÇA O TRABALHO DA FISIOTERAPIA REALIZADO NO LEITO

Você sabia que o atendimento beira leito feito pela equipe de Fisioterapia da Clínica de Transição Paulo de Tarso faz total diferença no tratamento dos nossos pacientes? Ao todo, 9 profissionais percorrem diariamente as nossas Unidades de Cuidados Continuados, se desdobrando para oferecer o melhor cuidado e garantindo a recuperação adequada no tempo certo.

A definição entre a ida para o Centro de Reabilitação ou o atendimento nos leitos é feita pelo próprio fisioterapeuta, que analisa o perfil de cada paciente, considerando riscos, benefícios e protocolos.

Veja as orientações da fisioterapeuta da Clínica de Transição Paulo de Tarso, Karenn Santana: “o atendimento no leito é indicado para aqueles que ainda não possuem o controle de cabeça e do tronco adequado para assentar no leito sem apoio, para clientes que têm algum comprometimento neurológico e que não são capazes de responder aos comandos ou que possuem baixa capacidade de compreensão na execução dos exercícios, além de pacientes em uso de ventiladores mecânicos ou dispositivos que possam causar instabilidades no transporte fora do leito”.


Durante o atendimento individualizado no leito, o fisioterapeuta realiza a retirada de dispositivos de traqueostomia e oxigenoterapia, faz os treinos de alongamentos e fortalecimentos globais e controle de cabeça e tronco, além de aplicar vários recursos como eletroterapia e analgesia, quando necessário. Os profissionais utilizam também espaços comuns, como o Solar, corredores, rampas de acesso, simulando situações do cotidiano.

Ao realizarem as atividades no seu próprio espaço, os fisioterapeutas facilitam a adaptação dos pacientes, promovendo uma alta segura e responsável. “Os resultados são bastantes satisfatórios com grandes ganhos e qualidade vida para os pacientes, principalmente quando os familiares aderem às orientações realizadas pelos profissionais. A melhor experiência dos clientes é nosso maior objetivo, finaliza Karenn. 

Compartilhe:

Mais posts

DISARTRIA PÓS-AVC

A disartria é uma alteração da fala provocada por um distúrbio neurológico, como um AVC, paralisia cerebral, esclerose múltipla, doença de Parkinson, entre outros transtornos

ANEURISMA E AVC

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) e o Aneurisma são doenças que afetam muitas pessoas pelo mundo e se correlacionam, já que a ruptura de um